Acessibilidade
Alt + 0


Menu
Alt + 1

Ir para conteúdo
Alt + 2

Contraste
Alt + 3

Diminuir fonte
Alt + 4

Aumentar fonte
Alt + 5

HIS TÓ RIA

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀A cidade de Criciúma foi palco de grandes transformações sociais e econômicas ao longo de sua existência. Fundada no final do século XIX – 06 de Janeiro de 1880 - por imigrantes italianos, o Município de “Cresciuma”, que se inicia nesse momento de colonização progredindo economicamente por meio da agricultura e do pequeno comércio, se desenvolve economicamente e socialmente de uma maneira mais efetiva por conta da extração do carvão que ocorreu de forma intensa na cidade e arredores; ao longo do tempo, outros setores econômicos começaram a surgir no município, contribuindo ainda mais para o crescimento da cidade.

Inicialmente chamada de Cresciuma por conta da presença do capim Kyruy -Syiuâ – Palavra Tupi para o capim encontrado em grande abundância na região - a mudança do seu nome para Criciúma vem a acontecer apenas na década de 1940, por meio da lei estadual nº 247 de 30/12/1948. É importante frisar que, Cresciuma até a década de 1920 era subordinada a Araranguá, sendo “Elevado à categoria de Município com a denominação de Cresciúma, pela lei estadual nº 1516, de 04-11-1925, desmembrando de Araranguá” (IBGE, 2014); assim sendo, Criciúma possui o dia 04 de Novembro como o dia de sua emancipação político administrativa.

Como colocado anteriormente, a base para o desenvolvimento econômico e social de Criciúma foi a extração do carvão, iniciada na cidade na primeira metade do século XX. Atrelada ao carvão, a ferrovia instalada no município neste mesmo período “foi um dos suportes materiais importantes para a manifestação da vida urbana em Criciúma, especialmente em torno da estação de passageiros, próxima ao centro da cidade.” (NASCIMENTO, 2004, p. 18). Tal ferrovia que tinha como objetivo principal o transporte do carvão, acaba interligando, por meio dos ramais, Criciúma às outras cidades.

É importante salientar que por mais que a ferrovia tenha sido construída com o objetivo de transportar o carvão, “em 1923 foi iniciado o transporte de passageiros em Criciúma, sendo construídas três Estações Ferroviárias: no centro e no bairro Sangão, construídas em 1919 e 1921, respectivamente, e no bairro Pinheirinho em 1943.” (MONDARDO, 2016, p. 11).

Vários foram os motivos para a retirada da ferrovia e demolição das estações ferroviárias do centro da Cidade; Nascimento (2004) afirma que a partir do dia 05 de Abril de 1975, a linha férrea Dona Teresa Cristina começou a ser retirada do centro da cidade de Criciúma.

Nesse fazer de constantes transformações a primeira estação rodoviária é construída. “O Terminal Urbano Ângelo Guidi fez parte de um conjunto de grandes obras que marcaram a cidade no final da década de 1970 e início da de 1980 [...]”(NASCIMENTO, 2004, p. 159).

Na década de 1990, o centro de Criciúma passa por uma nova mudança. Tal mudança tinha como objetivo, segundo Costa (2001) implementar um sistema rodoviário, de transporte coletivo, inspirado no modelo curitibano. Por conta disso, inicia-se então os projetos para a construção de um novo Terminal Central que substituiria o então Terminal Urbano Ângelo Guidi. Tal construção é utilizada até os dias atuais.

Atualmente Criciúma se configura como uma das melhores cidades do Brasil para se fazer negócios, despontando como polo regional que está em constante crescimento. Além disso, a cidade conta com aproximadamente 215 mil habitantes e um PIB superior a R$ 8 BI, estando entre os maiores de Santa Catarina. (PREFEITURA DE CRICIÚMA).

Prefeitura Municipal de Criciúma. Criciúma: Santa Catarina - Brasil. Criciúma, 2019. 102 p. Disponível em: https://www.criciuma.sc.gov.br/site/files/livro-historia-criciuma.pdf. Acesso em: 21 set. 2021.

IBGE: cidades. Cidades. 2014. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sc/criciuma/historico. Acesso em: 22 jul. 2021.

NASCIMENTO, Dorval do. As curvas do trem: a presença da Estrada de Ferro no Sul de Santa Catarina. Criciúma: Unesc, 2004. 181 p.

COSTA, Marli de Oliveira. A casa enquanto registro da memória: o processo de reconstrução da casa do Agente Ferroviário de Criciúma. Criciúma, 2001, 8 p.
 

Conhecida como a Capital Nacional do Carvão e abrigando uma forte indústria no ramo do Revestimento Cerâmico, Criciúma também se coloca e é reconhecida como lugar de grandes festividades; nomeada inicialmente como “Quermesse de Tradição e Cultura” a Festa das Etnias, como atualmente é chamada, propicia uma experiência gastronômica e cultural para aqueles que participam. Para além das festividades e do setor econômico, o município de Criciúma oportuniza, por meio de seus Espaços de Memória, conhecer a história da cidade e região a fim de refletir a respeito de sua formação e transformações.

Pontos Turísticos

Dentre os pontos turísticos presentes no município, podemos citar aqueles de Cunho Religioso. Em Criciúma, a Catedral São José; A Igreja de Nossa Senhora da Salete e a Gruta Nossa Senhora de Lourdes integram um conjunto de espaços presentes na cidade que atendem a esse objetivo.

Cultura e Educação

Cultura e Educação são pontos essenciais para o nosso desenvolvimento! Pensando nisso, a cidade de Criciúma por meio de seus espaços não formais de educação, possibilita o contato com a história e a cultura da cidade suscitando reflexões e contribuindo para o acesso ao conhecimento. O Memorial Casa do Agente Ferroviário Mário Ghisi, o Museu Histórico e Geográfico Augusto Casagrande e o próprio espaço da Praça Nereu Ramos, são alguns destes lugares presentes na cidade de Criciúma.

Infra-estrutura turística

Localizado no Parque Centenário, o Teatro Municipal Elias Angeloni se constitui como a única sala de espetáculos do Sul do Estado. Sendo um importante espaço cultural da cidade, promove peças de Teatro, apresentações musicais, palestras, entre outros. Para além do Teatro, o Centro Cultural Jorge Zanatta, o Parque das Nações Cincinato Naspolini, o Pavilhão de Exposições José Ijair Conti, assim como a rede de Hotelaria e restaurantes presentes na cidade, se constituem como espaços importantes de infraestrutura turística.

Atualmente, Criciúma conta com um Centro de Atendimento ao Turista (CAT), localizado no Parque das Nações Cincinato Naspolini, com horário de funcionamento: de Segunda a Sextas-Feiras – 8h às 19h e aos Sábados – 8h às 12h.

TU RIS MO

PERFIL DO MUNICÍPIO

DATAS

Data de fundação: 06 de Janeiro de 1880.
Aniversário da cidade: 06 de Janeiro.
Dia de Santa Bárbara, padroeira dos mineiros: 04 de Dezembro

PRINCIPAIS ATIVIDADES
ECONÔMICAS

O carro-chefe da economia de Criciúma é o setor cerâmico, mas também se destacam os setores de comércio, supermercadista, vestuário, construção civil e tecnológico.

CARACTERÍSTICAS

Maior produtor nacional e segundo maior produtor mundial de pisos e azulejos, Criciúma é rica em cultura e recursos naturais. É também o terceiro maior pólo nacional na produção de jeans e o maior pólo estadual do setor de confecções.

DADOS GERAIS

Fundação: 6 de janeiro de 1880. Emancipação: 4 de Novembro de 1925.
Instalação: 1º de Janeiro de 1926.
População : 217.311 habitantes, segundo estimativa do IBGE para 2020
Eleitores, em três zonas eleitorais: 146.326 (Fonte: TRE - Mar/2020).
Colonização: Italiana, alemã, polonesa, portuguesa, espanhola e africana.
Localização: Extremo sul, a 200km de Florianópolis,
Área: 235,628 km².
IDH: 0,788 Fonte Atlas Brasil: 2013.
PIB : R$ 8.000.000.000,00 Fonte: IBGE
PIB - per capita : R$ 33.811,63 Fonte: IBGE/2017
Clima: Subtropical, com temperatura média entre 15º e 30º.
Altitude: 46m acima do nível do mar.
Coordenadas Geográficas: 28º40’28” de latitude sul e 49º22’02” de longitude W.GR. Sede da microrregião do carvão e da Associação dos Municípios da Região Carbonífera.
Cidades próximas: Araranguá, Içara, Morro da Fumaça, Urussanga, Siderópolis, Nova Veneza
Criciúma é atendida por dois aeroportos, o Diomício Freitas e o Aeroporto Regional de Jaguaruna.

SÍMBOLOS

Brasão Municipal

Bandeira Municipal

HÍNO

Letra por Gessy Cheren Stoco

Melodia por José Acácio Santana

Criciúma nasceste menina,
Foi teu berço plasmado em carvão,
Hoje és uma aurora brilhante,
De uma nova e feliz geração.

Estribilho

Salve, salve Criciúma
Ao Brasil queres servir
De carvão foi o teu berço
De progresso é teu porvir

Criciúma outrora tu foste
A semente modesta e feliz
Hoje és capital do trabalho
E orgulho de nosso país.

Criciúma és mãe dedicada
Destes filhos de teu céu azul;
és do amor, a canção mais sublime,
Prazerosa rainha do sul.

Player do Hino

FONTE

Fundação Cultural de Criciúma | Casa da Cultura | Instituto Brasileiro de Geografias Estatísiticas (IBGE) | Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) | Portal de Turísmo do Governo do Estado de Santa Catarina

VENHA NOS VISITAR